domingo, junho 11, 2006

BRRRRRRRRR QUE FRIO!




O frio chegou.

Hoje não tenho trabalhos para mostrar mas quero falar um pouquinho com vocês. É para matar a saudade, sabe. Domingão, família reunida para o almoço e depois os filhos saíram para o trabalho, marido roncando no sofá, louça lavada, aqui estou.

Fiquei matutando sobre certas coisas que alegram nossa vida, além é claro de nossa família, que é o começo, o meio e o fim de tudo. E acho que as pessoas que têm um bichinho (ou vários) e gostam de artes (seja artesanato, música, enfim, algo que possa ter vida apartir de nosso pensamento), são mais felizes. É uma emoção muito grande ver um trabalho pronto, uma plantinha dando flor, um animalzinho agradecendo os cuidados recebidos.

Sou apaixonada pelos meus bichos assim como pelo crochê e pelas minhas plantinhas (não pensem que tenho um lindo jardim pois gosto de um certo ar de sítio, acho que é porque cresci na roça).

Temos um gato, um cachorro e uma cadela. Gostaria de ter uma vaca mas falta espaço para isso.

O gato é boêmio: Ao lado da minha casa tem um bar de solteiros e o safado do meu gato quando não está dormindo está "nas vizinhas". Fica lá no estacionamento e creio que até frequenta o tal bar.

O cachorro é o Cafú (tem até comunidade no Orkut dedicada a ele), um vira-latas com cara de fox paulistinha. Tem onze anos e está ficando cada dia mais neurótico. Sempre foi muito bravo e cuidava bem da casa, agora ele só quer saber de dormir e está cada dia com mais manias (tirar soneca atrás da geladeira, só quer a caminha na lavanderia), além de cada vez mais friorento. Mas continua um amorzinho comigo e mutio carinhoso (só comigo). Acho que está aposentado.

A cadela é a Nickie, uma labradora linda. Ela é quase branca, e segundo um amigo, ela é top model canina, ele diz que ela é a G...... B....... canina. É muito querida, pensa que é gente e fica ao nosso lado o tempo todo.

Depois que a Nickie veio para nossa casa, o Cafú tem passado muito frio pois ela tira as roupinhas dele. Ele sempre foi muito friorento e adora usar roupinhas. Ela não usa roupas e não deixa ele usar, resultado: tivemos que trazer a caminha dele para dentro de casa e nos dias frios até durante o dia ele dorme na lavanderia pois não pode usar roupinhas. Ela como não sente frio não está nem aí.

Então, estou contando estas coisinhas para que vocês saibam um pouco sobre a minha vida; e também porque ainda não sarei da rinite, ainda estou trabalhando bastante e por isso quase não tenho tempo de fazer meus crochezinhos e assim não tenho nada para postar. Mas não posso deixar de falar com vocês.

A manta do Crochê Solidário está pronta, minha cunhada Teninha (Alcenir) que é um amor de pessoa costurou a manta para mim porque cada vez que eu chegava perto da manta desatava a espirrar. Logo, logo vou postar uma foto do trabalho pronto. À todas que nos ajudaram neste projeto, quero agradecer e dizer que este trabalho não para por aqui. Temos quadradinhos para mais uma manta e espero continuar recebendo ajuda para outras mantas. Aquele restinho de lã que está em sua gaveta, sem utilidade pode muito bem criar vida e aquecer nossos irmãos menos favorecidos.

Um beijo e fiquem com Deus. Que o amor a humildade e a tolerância seja uma constante em nossas vidas.

Ma
Postar um comentário